Artigo

Title

Como poupar dinheiro nos restaurantes

Imagem Teaser

Conta do restaurante

Body

Muitas pessoas gostam de ir almoçar ou jantar diariamente no restaurante e certos indivíduos não abdicam desta mordomia. Em certas profissões, o trabalho obriga-os a fazer grandes deslocações e esta é a forma mais cómoda de tomar uma refeição completa, descansada e mais saudável.
Apesar de as refeições fora de casa serem uma das modalidades que levam a um gasto maior de dinheiro, (do que se as pessoas optassem por levar marmita ou almoçarem e jantarem em casa), existem algumas formas de o economizar sem se ter que abdicar deste prazer. Saiba como:

1. Aderir aos descontos

É importante estar atento aos descontos realizados por alguns restaurantes em certas alturas do ano. Eles fazem certas promoções e por vezes baixam os preços com o objetivo de atrair cada vez mais clientes. Alguns ainda fazem preços especiais para as pessoas que tomem a sua refeição ao balcão e outros optam pelo serviço “take-away” que pode igualmente sair em conta.

2. Pedir vinho a copo

As bebidas são, por vezes, o que encarece mais a ida ao restaurante. Quando se escolhe a bebida para acompanhar a refeição, também se pode poupar dinheiro.
Geralmente a água é a bebida mais barata em todos os estabelecimentos, mas o vinho a copo também pode ficar mais barato do que a garrafa inteira. Normalmente as bebidas alcoólicas são mais caras que os sumos e refrigerantes.

3. Dividir a sobremesa

Por vezes o próprio prato principal acaba por satisfazer a pessoa, não havendo necessidade de ingerir mais nada, mas os empregados também tentam vender a sobremesa. Se a pessoa optar só pelo prato principal e excluir a fruta ou o doce, a despesa pode ser bem menor. Outra alternativa é dividir a sobremesa com outra pessoa conhecida (colega, amigo ou cônjuge).

4. Dispensar as entradas

As entradas e o pão fazem parte do menu da maioria dos restaurantes portugueses e é um elemento que não precisa de ser pedido pelos clientes porque, por norma, é das primeiras coisas a ser servida. Se o indivíduo optar por abdicar delas, economiza igualmente alguns tostões.

5. Optar pelas meias doses

Quando se pede a refeição deve-se tentar saber quais as quantidades de cada dose e o respetivo acompanhamento. Deste modo, é possível determinar se meia dose é suficiente ou se é necessária mais comida. Regra geral, estas ficam mais em conta do que as doses inteiras e são uma opção viável na maioria das casas de restauração.

6. Verificar a fatura

Esta dica deve ser sempre tida em conta sempre que se efetua um pagamento. Por vezes, basta o restaurante estar cheio e com muitos clientes para que um empregado, mais cansado ou até inexperiente, faturar coisas a mais. Quando o pagamento é feito a dinheiro também é crucial confirmar o troco se está correto.

7. Evitar ir aos restaurantes nos dias festivos

Por norma, na altura das festas, isto é, na Páscoa, no Natal, no Dia dos Namorados, no Ano Novo, entre outros, as ementas são mais caras, pois os restaurantes aproveitam-se destas datas para apresentarem uma ementa diferente. A ementa é mais elaborada, mas os preços também são mais caros.

8. Limitar as idas ao restaurante

Ir ao restaurante pode começar a tornar-se um hábito e até sair fora do controlo. Uma outra forma de poupar dinheiro é delimitar o número de vezes que se vai comer fora por semana ou então por mês e respeitar essa seleção.

O importante é cada pessoa controlar os seus gastos semanais ou mensais sem abdicar de alguns dos seus prazeres e mantendo o seu modo de vida dentro das suas possibilidades.