Artigo

Title

Como poupar dinheiro nos postais de Natal

Imagem Teaser

postais de Natal

Body

Uma das tradições mais maravilhosas da quadra natalícia é abrir a caixa de correio e deparar-se com postais de Natal carinhosamente escritos pela mão de familiares e amigos que estão longe, mas que não se esqueceram de nós. E agora há que retribuir, mas a verdade é que, e dependendo da sua lista de nomes, este gesto implica gastar dinheiro – são os postais, os envelopes e os selos – e ainda requer algum tempo de preparação. Se este ano a ideia é poupar nos cartões de Natal, continue a ler.

Actualize a sua lista. Verdade seja dita, durante o Natal lembramo-nos de todos – pessoas de perto ou de longe, pessoas com quem falamos todos os dias e com quem já não falamos há anos. Por isso mesmo, e para evitar uma lista de cartões natalícios cada vez maior, procure actualizá-la: elimine os nomes daquelas pessoas com quem já não comunica há vários anos, mantendo apenas aquelas que vivem muito longe e que sabe que não vai ver durante a quadra.

Reciclagem natalícia. Procure cartões de Natal antigos e, se não estiverem escritos no verso da imagem, recorte-os cuidadosamente, escreva nesse verso e envie-os tipo postais turísticos – serão mais baratos em termos de custos de correio e não necessitam de envelope. Em alternativa, basta recortar uma folha de cartolina em formato de postal (de preferência ligeiramente mais pequeno) e colá-la dentro daquele que vai reutilizar. Escreva uma nova mensagem e envie… tenha apenas o cuidado de não enviar o postal para a mesma pessoa que o mandou para si!

Mãos aos postais. Acha os cartões comprados muito caros? Com um computador, ligação Internet, uma impressora e uma boa dose de criatividade pode elaborar os seus próprios postais. Se tiver uma veia artística, cartões de Natal confeccionados inteiramente à mão – com ilustrações, autocolantes, brilhantes ou colagens – serão uma verdadeira obra de arte, digna de exibição em frigoríficos ou sobre as lareiras de qualquer casa… e só gasta aquilo que quiser! Já que está com a mão na massa, faça também os seus próprios e originais envelopes: necessita apenas de uma folha de cartolina grossa numa cor condizente com a época, dobre-a em torno do postal, afixando-a com um pouco de cola e feche com alguns fios de ráfia, um autocolante ou marca de cera natalícia.

Não enviar. A tradição de enviar postais pode não lhe dizer muito e, pior, ser encarada como um “frete”! Se assim for, e porque a tradição já não é o que era, estabeleça novos costumes para desejar festas felizes sem ser via correio: envie e-mails personalizados com imagens pessoais ou retiradas da Internet; envie postais de Natal electrónicos (a escolha é infinita e à distância de um clique); envie sms engraçados ou com uma mensagem natalícia; envie mms com uma imagem divertida consigo perto da árvore de Natal, vestido de Pai ou de Mãe Natal, ou com uma prenda na mão a dizer “o Pai Natal trouxe este presente para ti”!

Telefone. Aproveite as horas mais económicas ou até gratuitas que os serviços telefónicos não se cansam de oferecer e telefone a todos os seus amigos e familiares. É uma excelente forma de poupar tempo, dinheiro e de matar saudades. Troque meia dúzia de letras escritas por dois dedos de conversa!

Viva a tradição. Se o envio de cartões de Natal é uma tradição que nem sonha extinguir e que gostaria de incutir nos seus filhos, por exemplo, então continue. Para aliviar as despesas, aproveite os saldos pós-Natal para se abastecer de várias caixas de postais natalícias: uma poupança antecipada de 50% a 70%. Guarde-os e até para o ano!