Artigo

Title

Como poupar dinheiro com animais de estimação

Imagem Teaser

Cachorrinhos

Body

Existem mil e uma formas de poupar dinheiro, começando com gestos tão simples como almoçar em casa ou cortar no número de cafés consumidos diariamente… onde não se pode “cortar”, porém, é com os nossos queridos animais de estimação que são, acima de tudo, membros da família. Em tempos de “apertar o cinto” existem, no entanto, algumas dicas para poupar dinheiro com os animais de estimação, sem prejudicar a sua qualidade de vida.

  • Em vez de comprar um animal de estimação, visite um abrigo ou associação de animais e adopte.
  • Esteja atento às diferentes campanhas gratuitas (ou de baixo preço) de vacinação ou de colocação de chip identificativo que as associações e abrigos de animais fazem periodicamente para sensibilizar a população.
  • Antes de comprar tudo e mais alguma coisa para dar as boas-vindas ao animal de estimação, fale com familiares e amigos que possam ter gaiolas, aquários ou cestos guardados na garagem e que lhes possa ceder, dar ou vender a um “preço de amigo”.
  • Zele pela saúde do seu animal de estimação, ora com uma alimentação adequada, ora com o tempo de exercício físico necessário. Nos dias que correm, a obesidade é tão comum nos humanos como nos seus companheiros de quatro patos e, como todos nós sabemos, a obesidade pode trazer uma série de problemas de saúde e com isso vêm também, para além das preocupações e desgaste emocional, as contas médicas.
  • Manter o seu animal de estimação saudável também passa por tratar diária ou semanalmente do seu pêlo, unhas e dentes; bem como assegurar que tem sempre as suas vacinas em dia e não descurar a sua consulta de rotina anual. Em termos de poupar dinheiro com um animal de estimação, a prevenção é a melhor solução.
  • Ainda em termos de medidas preventivas e de poupança, certifique-se que a sua casa está equipada para receber um animal de estimação – ter atenção a portas e janelas abertas, vedações com aberturas, a proximidade com a estrada, eliminando plantas venenosas, guardando em segurança medicamentos e produtos de limpeza tóxicos, retirando objectos frágeis e valiosos… Faça tudo o que puder para prevenir acidentes, tanto do animal, como de objectos domésticos que terão de ser substituídos ou reparados em caso de quebra ou de outros estragos.
  • Conheça bem o seu animal de estimação, ou seja, se estiver familiarizado com a raça, por exemplo, pode saber se ele é mais propenso a esta ou aquela doença ou problema de saúde. Nesse sentido, pode informar-se com o veterinário (nas consultas anuais, por exemplo) sobre o que fazer se acontecer isto ou aquilo. Ao conhecer muito bem o seu fiel amigo, poderá tratá-lo antecipadamente ou até prevenir que a situação piore e aumente de custos.
  • Optar por um seguro médico ou de saúde para o seu animal de estimação pode ser um investimento a longo prazo, especialmente útil para emergências ou doenças inesperadas.
  • Se o seu animal de estimação mostrar sinais de doença, leve-o de imediato ao veterinário. O tempo e o dinheiro que gastará a esperar que ele melhore ou a experimentar dar-lhe algum medicamento que ele já tenha ou que lhe foi recomendado na loja dos animais, pode ser em vão quando finalmente marcar uma consulta e o veterinário lhe receitar algo completamente distinto ou verificar que a situação é mais grave do que inicialmente pensava.
  • Faça questão de ser fiel a um único veterinário, mesmo que tenha de “experimentar” vários antes de decidir qual é o melhor para si e para o seu animal de estimação. Ter uma relação de longa data com um veterinário pode ser benéfico em termos de preços de tratamentos, promoções especiais, situações de emergência ou até na própria forma de pagamento.
  • Da mesma forma que está atento a promoções e descontos nos produtos de alimentação e uso diário para si e a sua família, faça o mesmo com a comida, areia, champôs e todos os outros artigos que o seu animal de estimação normalmente requer. Se os produtos tiverem um prazo de validade extenso e a promoção for vantajosa, compre em grandes quantidades.
  • Faça voluntariado num abrigo ou associação de animais – é uma excelente forma de ficar a conhecer melhor o mundo dos cães, dos gatos e até de outros animais, uma vez que contactará directamente com pessoas especializadas na área. Pode ter acesso a informação privilegiada, ter boas referências e aprender melhor como poupar.
  • Se já tem um fundo de emergência montado, óptimo; se não comece já hoje a fazê-lo e dedique uma percentagem das suas poupanças ao seu animal de estimação. Pode ainda ir mais longe e criar-lhe a sua própria conta, exclusiva para todos os seus possíveis gastos, actuais e futuros.
  • Quando estiver ausente durante longos períodos e não puder levar o seu animal (férias, motivos profissionais…), tenha algum familiar ou amigo de confiança que possa fazer de “babysitter”, evitando assim os custos de um hotel para animais.
  • Não se entregue às modas dos mais recentes brinquedos, trelas, roupinhas, camas, transportadoras e outros mil e um objectos, só para ver tudo guardado na garagem alguns dias depois. Opte apenas pelo básico – desde que tenha a qualidade desejada – e já sabe que, por vezes, um animal entretém-se mais com a bola do seu filho do que com a última novidade da loja dos animais. Aliás, as suas maiores preocupações são comer, dormir e brincar, e não andar com a coleira da última colecção da Burberry.
  • Embora o amor, o carinho e o companheirismo sejam gratuitos, o seu valor não tem preço, por isso, dê muitos mimos ao seu animal de estimação, para que ele possa ter uma excelente qualidade de vida e, de preferência, por muitos e longos anos.