Artigo

Title

8 dicas para poupar dinheiro nos alimentos natalícios

Imagem Teaser

Doces de natal

Body

Verdadeira festa gastronómica, o Natal é, sobretudo, tempo de convívio, recheado de momentos bem passados na companhia de família e amigos… de preferência sentados numa mesa farta. Nesta quadra, os alimentos acabam por ocupar uma grande fatia do orçamento familiar, por isso, saiba como poupar nos alimentos natalícios, sem roubar ao sabor ou à apresentação dos pratos mais festivos.

  1. Lista e orçamento. São duas ferramentas indispensáveis para poder poupar na hora de ir ao supermercado fazer as compras para as festas de Natal. É fácil tentarmo-nos por mais uma caixinha de bombons ou de bolachas de manteiga porque pode fazer falta, mas quanto mais comprar, mais gastará e mais se irá comer. Calcule antes o número de pessoas que vai ter em cada refeição e mantenha-se fiel às respectivas quantidades. Porque é que há-de assar dois perus se um chega perfeitamente?
  2. Evite aperitivos pré-preparados. Para quê encher a mesa de nozes, salgados, batatas fritas e outros aperitivos pré-preparados de preços bastante elevados, quando pode surpreender os seus convidados com entradas deliciosas como uma sopa de abóbora com palitos de queijo ou uns ovos escoceses – rende mais e custa menos.
  3. Poupe nas decorações de mesa. É desnecessário gastar dinheiro em toalhas de mesa, guardanapos, copos e pratos com motivos natalícios – tudo junto vai-se somando e, tendo em conta o pouco uso que lhes vai dar, vamos ser realistas… e criativos! Ponha a sua veia decorativa a trabalhar e procure formas originais de decorar a mesa de Natal com objectos que tem em casa ou no jardim. O que vai poupar na decoração da mesa pode ser utilizado para as delícias gastronómicas que a vão adornar.
  4. Buffet de Natal. No que toca a jantares e convívios natalícios numerosos, o orçamento pode facilmente duplicar ou até triplicar. Para evitar sobrecarregar a sua carteira, peça a cada convidado para trazer uma coisa diferente: uma entrada, um acompanhamento, um salgado, um doce e ofereça as bebidas, por exemplo. Para além de conseguir uma refeição muito económica, será uma espécie de degustação muito divertida com todos a quererem experimentar as especialidades que as pessoas trouxeram.
  5. Substituições de qualidade. Natal não é sinónimo de luxo, mas sim de convívio, amizade e bem-fazer… o mesmo passa-se à mesa. Em vez de querer impressionar com produtos gourmet e/ou artigos extremamente caros, procure alternativas mais baratas, sem pôr em causa o seu nível de qualidade claro está. Porque não trocar o champanhe Moët & Chandon por vinho espumante ou então a lagosta por camarão grelhado? Ninguém fica a perder e, como anfitrião, fica certamente a ganhar.
  6. Stock com antecedência. No que toca a alimentos e bebidas que não se vão estragar até à quadra natalícia, esteja atento e comece a comprar cedo, aproveitando as melhores promoções e armazenando tudo em casa. Para além de dividir as despesas ao longo de várias semanas ou até meses, evita as compras desenfreadas muito próximo das datas festivas, quando os produtos estão sempre mais caros.
  7. Esvaziar despensa e congelador. Durante as semanas ou dias que antecedem as festividades de Natal, não faça compras no supermercado, desafie-se a utilizar apenas o que tem na despensa e no congelador para confeccionar as suas refeições. Ao poupar, por um lado, nas compras tradicionais, permite-lhe canalizar essas verbas para o excesso de compras que o Natal requer. Estará ainda a libertar espaço físico para o que aí vem. 
  8. Presentes saborosos. E porque não pôr estes mesmos alimentos a render-lhe ainda mais qualquer coisa? Utilizar a comida caseira como forma de poupar nas prendas de Natal é um recurso muito inteligente. Como fazê-lo? É simples: confeccionar biscoitos bicolores e colocá-los numa lata divertida que até pode ter guardada na despensa de outros anos; elaborar uma deliciosa compota de courgette com nozes e encher frascos de vidro dos mais variados tamanhos (de maionese, polpa de tomate ou conservas), finalizados com uma etiqueta e fita natalícia. Com um efeito “wow” garantido, ninguém questionará o valor monetário de uma lembrança que é uma visão para os olhos e para a boca.