Artigo

Title

13 segredos para poupar dinheiro no talho

Imagem Teaser

Carne

Body

Sabemos que uma boa parte do rendimento mensal de qualquer casa vai para o supermercado. Um facto incontornável mas, que em época de contenção, requer alguma criatividade em termos de gestão financeira. Poupar dinheiro é o grande objetivo na hora das compras, e o talho não é exceção! Embora este seja um local onde, à primeira vista, poupar dinheiro pode parecer mais difícil, a verdade é que com um pouco de paciência e alguns truques que se podem revelar preciosas para rentabilizar o seu orçamento, tudo fica mais fácil e a conta do talho diminui a olhos vistos!

  1. Se tem por hábito comprar carne embalada, nas grandes superfícies, verifique sempre o preço da carne por quilo, poderá surpreender-se quando confirmar que, por vezes, fica mais económico comprar a carne ao quilo (ou à unidade de bifes, por exemplo) do que em “packs promocionais” que apelam visualmente à poupança imediata.
  2. Se compra a sua carne normalmente sempre no mesmo supermercado quando vai fazer as compras do mês, e depois congela, experimente entrar no talho da sua zona ou no minimercado e compare pontualmente os preços. É fundamental não perder a noção dos valores de mercado e até das promoções que ajudam imenso no controlo dos seus gastos mensais.
  3. Tente levar a carne que está na parte de trás ou no fundo do tabuleiro: a carne é normalmente mais fresca! E nem por isso mais cara.
  4. Experimente pedir no talho que cortem a carne, piquem ou removam as gorduras: normalmente é um trabalho que poupa em casa, ganhando tempo para outras tarefas, e não terá de pagar mais por isso. Afinal de contas, tempo é dinheiro!
  5. Prefira comprar um lombo de porco completo e peça ao talhante para cortar em fatias (ou corte você mesmo) em vez de comprar as fatias de lombo sem osso cortadas: na maioria das vezes, vai ver que compensa e sai mais barato o valor ao quilo.
  6. Se perguntar ao funcionário do talho se tem recomendações para o prato que tem em mente para a sua refeição, poderá ser surpreendido com sugestões que valem dinheiro e lhe permitirão ótimos resultados: uma carne alternativa ou mesmo outra peça ou naco que combinará bem com a receita que pretende fazer, permitindo-lhe assim poupar dinheiro, sem poupar no sabor.
  7. Prefira sempre a carne fresca do talho, em vez da carne embalada que encontra nas arcas frigoríficas das grandes superfícies… são quase sempre mais caras, pois, o packaging e os rótulos também se refletem no preço final dos produtos.
  8. Dê uma olhadela aos panfletos dos supermercados que colocam na caixa de correio: encontrará certamente promoções na carne que valem mesmo a pena aproveitar. No caso das promoções mesmo muito boas, compre a carne em grandes quantidades e congele.
  9. Se gosta de bolonhesa, de fazer os seus próprios hambúrgueres e carne picada em empadão, por exemplo, em vez de pedir só carne de bovino, misture em partes iguais com carne de porco: fica mais barato e muito mais saboroso (menos seco e mais equilibrado).
  10. Na Internet, é também muito fácil fazer uma pesquisa rápida de campanhas em vigor. Campanhas como 50% desconto em cartão, ou desconto imediato na carne em determinado dia, são exemplos do marketing que as grandes superfícies adotam cada vez mais, para combater a concorrência entre eles. E, para poder poupar dinheiro no talho, é importante aproveitar este tipo de promoções, por isso, planeie a ida semanal/mensal ao supermercado precisamente para esse dia (mas vá cedo!).
  11. Outra forma de poupar dinheiro no talho passa simplesmente por consumir menos carne, por isso, porque não elaborar uma ou duas receitas vegetarianas por semana? Ou então, substitua o prato de carne por uma boa sopa e uma bela tosta mista, faça uma pizza caseira ou troque o almoço por um brunch. Para além de poupar dinheiro, vai poder variar na alimentação lá de casa!
  12. Poupar dinheiro no talho também passa por não desperdiçar a carne que se compra. Se sobrar um pequeno bife ao jantar, este pode ser cortado e salteado com legumes e uma massa para o almoço do dia seguinte. Por outro lado, é importante consumir a carne congelada num período de cerca de 3 meses, de forma a manter a frescura e evitar o desperdício. No poupar é que está o ganho, como se costuma dizer!
  13. Ao criar empatia com o seu talhante habitual, poderá encontrar formas de poupar dinheiro, com sugestões que até ele próprio ficará feliz em poder compartilhar com os seus clientes preferidos! Desde alternativas à sua receita com ingredientes adicionais, sugestão de carnes que podem ter um aspeto menos apelativo no tabuleiro mas que são tão ou mais saborosas, sugestão de dias em que determinadas carnes irão estar em promoção, são diversos os segredos que se poderão revelar preciosos para si… e para a sua carteira!